Descubra quais são as novas profissões que devem surgir com o Metaverso

Metaverso! Cada vez mais empresas e até governos estão investindo nesta tecnologia. Alguns chegam a dizer que esta é a próxima fase que viveremos na Internet! Mas o interesse por este assunto começou, sem dúvidas, depois que o Facebook anunciou a mudança da sua marca para Meta. Já falamos um pouco disso aqui, no Engenharia 360. Agora é o momento de dar mais um passo nesta análise para entender porque este é um dos assuntos mais comentados e pesquisados atualmente nas redes.

O conceito de Metaverso

É mesmo um pouco complicado entender o que é o Metaverso, não se preocupe! Pense como se fosse um universo paralelo que acontece no plano virtual, onde as pessoas podem interagir por meio de avatares digitais. E qual o objetivo disso? Bem, tem gente que irá buscar este universo para ter as interações sociais e de trabalho que não consegue fazer no plano real. Outros só utilizarão isso para brincar com games. Na verdade, isso até que bem comum já, com jogos que simulam elementos do mundo fora da Internet.

Resumindo, o Metaverso seria uma mescla entre mundo físico e virtual!

Metaverso
Imagem reproduzida de Yahoo Finanças

Veja Também: Novos tempos – conheça o mundo alternativo do Metaverso e o ‘Deus’ virtual

As últimas notícias sobre o Metaverso

O Metaverso ainda precisa ser muito, mas muito aprimorado. Talvez este tenha sido o erro da Meta – que foi recentemente eleita como a pior empresa de 2021 -, apostando em algo que ainda não está 100% desenvolvido. Por exemplo, nas últimas semanas, vários usuários relataram terem presenciado comportamentos abusivos na Internet. Alguns disseram que os seus avatares chegaram a receber assédio sexual. Infelizmente, este é o grande problema desses espaços compartilhados imersivos, que podem ser acessados por qualquer um e em qualquer lugar – o que não justifica tal comportamento, claro.

Enquanto isso, estão sendo testados mecanismos de segurança para evitar mais casos como esse. Depois que tudo isso estiver resolvido, é bem provável que essa tecnologia deve revolucionar a maneira como nos relacionamos no mundo digital. E quem aposta nisso é o bilionário da Microsoft, Bill Gates. De acordo com ele, em poucos anos, a maioria das reuniões virtuais de negócios deverão migrar para o Metaverso. E, em um artigo divulgado recentemente na imprensa, ele fez previsões sobre o futuro e as novas profissões que devem surgir na próxima década, acompanhando este desenvolvimento. Veja a seguir!

As novas profissões baseadas no Metaverso

Cientista e estrategista de Metaverso

Para pesquisa e projeto de tecnologia, visando tornar o mundo inteiro visível e acionável digitalmente. Essa arquitetura será a base sobre a qual todos os outros casos de uso serão construídos (jogos, anúncios, controle de qualidade em fábricas, saúde conectada etc). E, depois, ainda será preciso apresentar estas grandes oportunidades ao público, ajudar a implantar, construir cases, desenvolver métricas e mais.

Desenvolvedor de ecossistemas

Encarregado de coordenar negociatas para que tudo isso possa ser possível em grande escala. Por exemplo, contratos com parceiros que forneçam produtos que garantam melhores experiências para os usuários e como eles poderão usufruir melhor desses itens adquiridos.

Metaverso
Imagem reproduzida de Na Prática

Especialista de segurança cibernética do Metaverso

Talvez o profissional que deve atuar com mais presença neste esquema todo, realizando um trabalho de investigação, orientação e supervisão constante. Ele deve garantir que as pessoas tenham, dentro do Metaverso, privacidade e proteção de seus dados, passando por sistemas em etapas rigorosas. Sua especialidade deverá ser saber bloquear invasões, fraudes e mais, sempre seguindo leis e protocolos.

Aliás, outra coisa que precisará ser cuidada constantemente no Metaverso são os anúncios publicitários. Para isso, o especialista deverá criar bloqueadores avançados para localizar tudo que esteja errado neste sentido.

Storyteller do Metaverso

Responsável por escrever e projetar as missões imersivas, idealizar cenários, orientar formas de narrativas – inclusive para empresas e instituições.

Construtor do Metaverso

Será preciso de profissionais que trabalhem para construir hardwares para o Metaverso – incluindo tudo, como câmeras, fones, óculos virtuais e mais -, sabendo montar e adaptar esses equipamentos. Ademais, outros terão o papel de ‘designers’ do Metaverso, olhando para o futuro, transmitindo boas mensagens, considerando regras e ética, passando o exemplo.

Metaverso
Imagem reproduzida de Forbes

As habilidades exigidas dos profissionais do futuro

Eis os campos de conhecimento que deverão ser exigidos dos profissionais nas próximas décadas:

  • Escrita e escrita criativa,
  • Deep learning,
  • Computação gráfica ou imagem computacional,
  • Programação,
  • Gerenciamento,
  • Modelos de Negócios,
  • Marketing,
  • HW/SW/SaaS/PaaS,
  • Empreendedorismo,
  • Indústria de XR,
  • Tecnologia e segurança de sistemas,
  • Codificação,
  • Eletrônica,
  • Softwares e hardwares,
  • 3D e realidade virtual,
  • entre outros.

Fontes: Época Negócios, Yahoo, O Globo, O Globo.

The post Descubra quais são as novas profissões que devem surgir com o Metaverso appeared first on Engenharia 360 | Engenharia para Todos.

Mulheres empreendedoras: 5 líderes exemplos em inovação aberta no Brasil

mulheres empreendedoras

Mulheres são fortes, determinadas e muito criativas! Não é à toa que são cada vez mais cotadas para assumir grandes cargos nas empresas. E é nesse momento que os céticos se surpreendem ainda mais, pois descobrem que, além de tudo, as mulheres sabem ser profissionais inovadoras.

Mas, então, por que será que tantos postos executivos ainda são, em sua maioria, ocupados por mulheres? Bem, infelizmente, essa questão de equidade de gênero em postos de trabalho é um problema – e não só no Brasil, mas no mundo todo. Por outro lado, recentemente, uma pesquisa feia pela consultora empresarial americana McKinsey apontou que houve uma melhora de 14% nos indicadores de companhias na América Latina para divisão equilibrada entre homens e mulheres nos postos gerenciais. Já em um levantamento feito pela consultoria especializada da 100 Open Startups revelou que 40% dos postos de gestão em programas de inovação aberta hoje são ocupados por mulheres. Ou seja, novas oportunidades e novas perspectivas para as mulheres no mercado de trabalho!

mulheres empreendedoras
Imagem reproduzida de Pixabay

Exemplos de executivas de sucesso em inovação

Uma lista feita pela Future Dojo, joint-venture de educação da Exame e da ACE, reuniu uma lista com o nome de vinte mulheres com trajetórias de sucesso em seu e-book. Nós, do 360, lemos o material e separamos algumas histórias para compartilhar com vocês, de modo a inspirar mais executivas que queiram trilhar o mesmo caminho de liderança na área de inovação. Confira a seguir!

1.Lisiane Lemos

Gerente de Desenvolvimento de Agências da Google, advogada e especialista em Tecnologia. Também é membro do conselho consultivo do Fundo de População das Nações Unidas, Kunumi AI e do conselho emérito do Capitalismo Consciente Brasil. Já foi co-líder do Comitê de Igualdade Racial do Grupo Mulheres do Brasil e co-fundadora do Conselheira 101, Rede de Profissionais Negros e Blacks at Microsoft Brasil. E se dedica hoje a dar para outras mulheres dicas sobre liderança e carreiras.

2.Juliana Glezer

É Engenheira de Alimentos, além de gerente de Open Innovation e Portfólio da Nestlé. Foi responsável por criar o ‘Panela’, um projeto que pretende consolidar a companhia no ecossistema de inovação e ser a porta de entrada para startups, universidades e pesquisadores. Já trabalhou na AgroParisTech. E, hoje, deseja unir suas paixões e expertises para se dedicar à inovação voltada, sobretudo, ao mercado de alimentos e bebidas.

3.Clara Bidorini

Já foi diretora e responsável pela criação da área de corporate venture da Kyvo Design-Driven Innovation, onde coordenava programas de inovação organizacional e inovação aberta. Também foi fundadora do programa “Change as Mindset” de empoderamento feminino e cofundadora da Namoa, plataforma de apoio a pessoas em estado de refúgio. Agora, é manager de startup business development na Amazon AWS. Deseja aliar design, estratégia e inovação em seu trabalho. E quer ajudar as mulheres compartilhando dicas sobre como construir projetos estratégicos.

4.Renata Zanuto

É formada em Administração, com especialização em Gerenciamento Estratégico & Marketing. Tem dez anos de experiência com inovação. Já trabalhou na IBM. Atua hoje como co-head no Cubo Itaú, responsável pelas conexões entre startups e os demais agentes do ecossistema de inovação para geração de negócios. E gosta de compartilhar vídeos na Internet sobre empreendedorismo.

5.Dani Junco

Especialista em Marketing com foco em Branding. Trabalha como CEO da B2Mamy, a primeira aceleradora que conecta mães empreendedoras ao ecossistema de inovação. Propõe que mulheres possam equilibrar seus papéis em suas carreiras e na administração da família, se tornando líderes em seus trabalhos. Nas redes, desenvolve ações para formar redes de apoio para o desenvolvimento de lideranças femininas.

E você? O que faz com seu espírito empreendedor? Com profissional, o que faz para ser uma referência em inovação? Como inspira outras mulheres? Fuja do óbvio! Leia, faça cursos… Aumente seu repertório! E jamais deixe de ouvir seu público-alvo!

Veja Também: Conheça o programa da Google para incentivar startups de mulheres na América Latina


Fontes: Revista Exame.

The post Mulheres empreendedoras: 5 líderes exemplos em inovação aberta no Brasil appeared first on Engenharia 360 | Engenharia para Todos.