Crise energética: saiba como o conceito de ‘Eletricidade 4.0’ pode nos salvar

Quantas crises enfrentamos neste momento, não é mesmo? Uma delas é a crise de geração de energia, que impacta severamente todas as empresas brasileiras, pois encarece desde a produção de matérias-primas, fabricação de produtos, estocagem, conservação, manutenção, entregas e além. E quanto mais impacta o bolso do consumidor, menos chances se tem de vendas e fechamentos de negócios. Nessa equação, como ficam as empresas?

Infelizmente, as perspectivas para o futuro não são boas. É que o nosso planeta está ficando mais populoso e cada vez mais consumimos energia. Se os governos não investirem em unidades de geração, transmissão e distribuição de energia, principalmente renovável, o gargalo só vai se fechar mais, sentido na alta das tarifas de energia e no meio ambiente. E não é só isso, também se faz necessário campanhas de conscientização para uso da energia de forma resiliente, segura e sustentável.

Imagem reproduzida de Propmodo

Conceito de Eletricidade 4.0

Qual a solução para mitigar ou evitar, de vez, esses problemas previstos para o futuro? Bem, talvez unir a eficiência de gestão de energia com o potencial da digitalização. Assim se resume a Eletricidade 4.0, conceito que remete ao termo Indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial, que já exemplificamos aqui, no Engenharia 360. O objetivo é educar parceiros e clientes dos negócios sobre como devem ser direcionados os esforços para o seguinte:

Zero desperdícios | Zero emissões | Zero carbono

Eletricidade 4.0
Imagem reproduzida de Citisystems

União ‘gestão + digitalização’

Pense assim: como podemos racionalizar o uso de energia dentro das empresas? Primeiro com uso da Tecnologia de Automação, capaz de contribuir para melhor controle de processos, instalações e mais, reduzindo, assim, o consumo. Segundo, apostando na digitalização para geração de dados para tomada de decisões mais precisas, em tempo real – inclusive sobre gerenciamento sobre performance energética.

Continuidade da eletrificação dos sistemas

Alguns pensam se poderiam substituir a energia elétrica por outra fonte, como de combustível, visando amenizar as contas. Porém, saiba que a eletricidade continua sendo o melhor e mais eficiente vetor de descarbonização. É por isso que muitas empresas estão lançando modelos de fogões elétricos, carros elétricos, aviões e helicópteros elétricos, e mais. É que, o ideal para a “recuperação verde” do planeta seria sermos menos dependentes do que polui ou incentivar a destruição da natureza de algum modo. Pode ter certeza de que isso vai nos ajudar bem mais no futuro!

Eletricidade 4.0
Imagem reproduzida de energy40news – Twitter

O que temos que fazer é juntar todo o conhecimento e esforços possíveis para:

  • reduzir perdas e maximizar o uso de infraestruturas;
  • melhorar a integração dos recursos energéticos;
  • apostar em investimentos de energia acessível, renovável e inteligente;
  • apostar no potencial de redes inteligentes, geração distribuída, armazenagem, resposta à demanda e eficiência energética, devido à integração total proporcionada pela Eletricidade 4.0;
  • e cobrar dos governantes a grande capacidade de geração de emprego e renda, pois até isso ajuda na economia de energia. 🙂

Veja Também: A importância do Estudo de Impacto Ambiental na engenharia


Fontes: SEGS.

Conheça 2 tipos de tecnologias BARATAS para a geração de energia em regiões remotas

Pense na dificuldade de morar em regiões remotas, isoladas do mundo, e querer realizar atividades simples do dia a dia, como ouvir um rádio ou tomar um banho quente. Na tentativa de ajudar famílias nestas condições, cientistas do mundo todo vêm desenvolvendo projetos com tecnologia diferenciada, mais independente e ecológica. Veja, por exemplo, as histórias de painel solar e turbina eólica para geração de energia apresentadas a seguir!

Projeto de painel solar orgânico

O segundo invento que queremos apresentar trata-se do primeiro protótipo da AVATAR, uma pequena turbina eólica desenvolvida pela startup Avant Garde Innovations, da Índia. Por conta da sua extraordinária capacidade funcional, em 2015, a ONU (Organização das Nações unidas) escolher o aparelho como uma das vinte melhores inovações da cleantech na Índia como parte do Global Cleantech Innovations Programme (GCIP.

energia elétrica
Imagem extraída de Saquarema TV

Como funciona o painel?

Esse novo painel desenvolvido no Brasil é constituído de um filme plástico, onde as tintas que são a base de carbono são impressas e podem transformar a luz do Sol em energia elétrica. Camadas internas criam elétrons, conduzindo cargas positivas e negativas. E a última camada impressa que funciona de terminal metálico, responsável por fechar o circuito.

Imagem extraída de Engenharia Hoje

Quais as vantagens desse sistema de energia?

O painel apresentado ao Instituto CSEM Brasil, em tese, é fácil de ser aplicado, mesmo nas mais diversas superfícies. E o mais importante: pode ser produzido com materiais orgânicos, sendo uma opção mais sustentável, em comparação aos painéis tradicionais de silício!

Atualmente, o painel fotovoltaico orgânico está em fase de testes. Foram adaptadas máquinas similares à de impressão em jornal para o processo de impressão desejado. O objetivo é garantir que essa alternativa barata leve energia verde para todo lugar!

Imagem extraída de CPG Click Petroleo e Gas

Projeto de pequena turbina eólica

O segundo invento que queremos apresentar trata-se do primeiro protótipo da AVATAR, uma pequena turbina eólica desenvolvida pela startup Avant Garde Innovations, da Índia. Por conta da sua extraordinária capacidade funcional, em 2015, a ONU (Organização das Nações Unidas) escolheu o aparelho como uma das vinte melhores inovações da cleantech na Índia como parte do Global Cleantech Innovations Programme (GCIP).

Imagem extraída de Avant Garde Innovation

Quais as principais características da turbina?

A turbina desenvolvida pela Avant Garde Innovations é de fluxo axial, multifásica, multivoltagem e sem escova. Com acionamento direto e sem engrenagem. Potência nominal de 1kW e tensão nominal 24V / 48V / 230V. E com controle de RPM para maior vida útil do rolamento – estima-se que venha a ter uma vida operacional de 20 a 25 anos.

A turbina AVATAR tem apenas três metros de diâmetro. Então, pequena e leve, ela é fácil de ser transportada. Ideal para casas, comércios e áreas rurais – em áreas marinhas, nevadas e desertas -, com capacidade de geração de energia de 5 kW/h, a uma velocidade de vento de 5,5m/s. Enfrenta automaticamente qualquer direção do vento e é silenciosa. É certeza de geração de energia seja dia e noite, chuva e brilho, verão e inverno. E o melhor, não precisa de muita manutenção, sem necessidade de limpeza regular.

energia elétrica
Imagem extraída de Government of India
energia elétrica
Imagem extraída de Avant Garde Innovation

Quais os maiores benefícios dessa nova tecnologia?

O novo gerador AVATAR também tem um custo de produção, funcionamento e manutenção baixo. O equipamento tem grandes chances de revolucionar a geração da energia renovável no mundo. Seu sistema, pelo que parece até agora, é bastante confiável. A instalação é rápida e simples, e pode ser tanto no nível do solo quanto na cobertura de edificações. Espera-se que possa ser comercializado em breve no Brasil! Vamos torcer por esta boa notícia!

Nosso país vive hoje uma das maiores crises de energia por conta da falta de chuvas. Como é bom ouvir histórias de alternativas simples que possam ajudar a nossa população a gerar energia mais barata e limpa, principalmente para famílias morando em regiões remotas do país. Que estes exemplos sirvam de inspiração!


Fontes: Engenharia Hoje, Click Petróleo e Gás.

The post Conheça 2 tipos de tecnologias BARATAS para a geração de energia em regiões remotas appeared first on Engenharia 360 | Engenharia para Todos.